Notícias, comentários e artigos de opinião sobre, cidadania, cultura, ciência, justiça e tecnologia; Partilhar Emoções, e Estimular Sentimentos.

29
Jun 09
A GANÂNCIA U.S.A. UMA VENDA
 

Recordo um dia triste para a minha querida vizinha da travessa ao lado quando quis recuperar uma pequena poupança que tinha depositado ao cuidado de uma senhora de nome Maria Branca dos Santos, que toda a gente conhecia por D.Branca, e que, por milagre, se duplicaria segundo vozes más conselheiras. A porta que se lhe abrira, simpaticamente, para receber o seu dinheiro, tinha um ferrolho que nunca mais se destrancou. O escândalo estoirara e a D. Branca tinha sido presa e milhares de pessoas tinham perdido as suas economias numa habilidade financeira ilegal. A minha vizinha deixou então para alturas melhores as férias que tinha agendadas para os Açores.

Pasme-se, então, que o exemplo dado ao mundo, por este pequeno país à beira mar plantado, foi tido em consideração, com matéria suficiente para ser colocada em acção e pasmar toda a gente com a sua eficácia. Do outro lado do Atlântico um senhor de reputação reconhecida de nome Bernard Madoff, vai desta, pega na fórmula, e atrai ao seu covil investidores ansiosos de dinheiro fácil.

De repente tudo se desmorona. Aquela enorme pirâmide desfaz-se e deixa à mostra aquilo que a fez erguer: a ganância e uma atitude ética empresarial, cujos princípios e valores estavam inscritos numa matriz de más práticas. Ou seja, a prática não rspeitou a ética no sentido de que o bom gestor tem que ser, ao mesmo tempo, um gestor bom.
 

Como escreveu um dia o Dr. Diamantino Marques, Ex. Presidente das Companhias de Seguros Império e Global, Ex-Presidente do Instituto de Seguros de Portugal: “É exactamente nas exigências em matéria de carácter, inclinação à prática do bem, que reside toda a diferença visto que formação intelectual do dirigente moderno deve ser complementada com elevada sensibilidade social e preocupação de integração de todos os seus actos num quadro recomendável pelas responsabilidades de cidadania. A moralidade e a eticidade dos dirigentes surgem assim como suportes essenciais da sua responsabilidade social e podem ser consideradas como meios de prevenção muito importantes em relação à prática de comportamentos criticáveis portadores dos mais graves riscos para toda a sociedade.”

Já agora, espero que os exemplos do BPN e BPP não sirvam de inspiração também às gentes do outro lado de lá. Senão, repete-se a historia e vejam que daquele lado castigam-se as pessoas que metem a pata na poça. Relembro que o senhor Madoff, o autor da maior fraude financeira da história de Wall Street foi condenado a 150 anos de prisão.

E este exemplo, o de condenar os irresponsáveis, alguma vez chegará a este lado?

»»» ler também

publicado por MonteiroMariti às 19:27

23
Jun 09
COMO ALGUÉM DIZIA, "A INVEJA É TRAMADA!"


As declarações pouco abonatórias a propósito da bilionária transferência de Cristiano Ronaldo para o Real Madrid, por parte de alguma comunicação social e de quem se distingue por esse mundo fora em posição de chefia (Joseph Blatter, o presidente da FIFA ) ou como actor de palcos que são os relvados (Fernando Torres, futebolista espanhol do Liverpool) podem também ser alvos de reparo por revelarem argúcia e muita inveja, no sentido de apontar como escandalosa, pouco ética,a verba envolvida na transferência. E então como seria se Cristiano Ronaldo fosse britânico, francês ou espanhol? O espanto e as críticas seriam tão referenciados? Quando foi da transferência de Zidane (75 milhões, se não estou em erro) houve críticas que apontassem essa transferência como escandalosa e descabida? Claro que não! Lembro-me que o efeito foi no sentido de elevar o Zidane ao lugar que ele merecia e apontar o feito como justo e merecido. E já agora, pergunto aos críticos, que tão atentos estiveram à transferência de CR e ao salário que este irá ganhar, se sabem quem são os desportista mais bem pagos do mundo? Não sabem?! Então pesquisem pois, terão bastante matéria para se entreterem. Infelizmente CR não encabeça a lista.

publicado por MonteiroMariti às 17:32

22
Jun 09
DE PURÉ DE AZEDAS A PUDIM BOCA-DOCE

Enquanto me delicio com um bacalhau assado na brasa acompanhado de uma suculenta torricada, os mais atentos apercebem-se das notícias que o aparelho de tv vai debitando. De repente a senhora Alzira, a autora daquele delicioso manjar, desabafa entre o fumo e o gesto simples que limpa a testa do suor que sulca o seu rosto: “O Sócrates agora, mais uma vez, tenta enganar o povo com uma imagem angélica e de falar manso. Ainda por cima cínico. O meu voto não leva ele não! Não me volta a enganar!”

Imediatamente dissipam-se as dúvidas que mantivera até então sobre a eficácia da nova imagem que o nosso Primeiro Ministro adoptara. Ele já não consegue enganar ninguém. De facto, não basta parecê-lo. O arrogante, a fera, o impositor, mantém-se ali, independentemente de tentar mostrar-se diferente. Só ele não percebe, ou estará mal assessorado, que mais vale ser do que parece-lo. Basta só estar atento à entrevista dada à SIC e aos momentos que Sócrates afirma que está contente com ele e quando pede novamente a maioria absoluta nas legislativas.

As várias classes profissionais, constantemente maltratadas e afrontadas com a arrogância e a prepotência do Eng.º José Sócrates, têm aqui motivos, mais do que suficientes, para reivindicarem um governo que tenha à sua frente alguém que de facto respeite as pessoas e não as julgue como uns mentecaptos. Porque senhor Primeiro Ministro, estou na linha da senhora Alzira, não sou louco para voltar a votar no senhor. Votei em si porque o julguei determinado a colocar as coisas no sítio. Mas não fez mais do que fazer de facto as coisas à sua maneira e mal. O senhor pode mostrar aquilo que muita gente gosta, que é determinação, segurança e proactividade, mas não lhe perdoará a falta de senso comum, a ausência de humildade e muito menos a escassez de honestidade. Peço-lhe aqui que seja como é e não tente ser o que não pode ou não consegue ser. Seja honesto consigo mesmo e respeite quem um dia permitiu que o senhor comandasse o destino deste país. E gastronomicamente falando, quem de facto é um puré de azedas(planta da família das poligonáceas, com sabor ácido, cultivada ou espontânea em Portugal e utilizada na confecção de vários pratos) nunca poderá ser um pudim Boca-doce.

Terminada a minha refeição recusei, e vá-se lá saber porquê, qualquer sobremesa que fosse doce. Acabei num simples e saboroso café e, inspirado pelo momento, acompanhei-o com um digestivo suave, o famoso licor de merda.


publicado por MonteiroMariti às 15:14

19
Jun 09
OS SENHORES ESPERTOS

Vá-se lá saber porque é que neste reino (des)governado, o crime de colarinho branco é apontado como coisa de senhores espertos, referenciado como coisa normal, e objecto de quase culto, independentemente de acossado de críticas e do abençoado asneirismo., como “Filhos da P***”,” Cabr*~*”, “Panel****s”, etc..
Apontam-se as armas, holofotes, câmaras fotográficas e de filmar contra casos explícitos, cujos actores são os tais senhores espertos que, lamentavelmente, vão desfilando por palcos por nós todos erguidos, mas que, infelizmente de alçapões não estão equipados. Estou farto de toda esta encenação. Estou farto de perceber que estes filmes têm sempre actores e realizadores formados na mesma escola e cujo alvo, desgraçadamente, é sempre o mesmo, o mexilhão. Estou farto de oportunistas da treta, de abutres e dos amiguinhos do mesmo covil. Eles por aí andam, como se de heróis se tratassem, saídos de um filme hardcore, mas que todos parecem gostar, independentemente do desconfortante nojo que provocam.
Aos senhores que mandam peço que haja mais vergonha, e que não nos continuem a julgar como mentecaptos, e que cumpram com tudo aquilo que é exigido num estado de direito e que se afastem, definitivamente, do” clube dos espertos”. Recordam-se da recente notícia do ex primeiro ministro da Coreia do Sul, o senhor esperto, Roh Moo-Hyun e o que ele fez por questões de honra?
Aos senhores espertos deste reino pergunto, onde está essa honra?

publicado por MonteiroMariti às 01:29

17
Jun 09
CONHECEM ESTE SENHOR?

Alguns ministros deste governo são conhecidos pelo mérito da sua governação, outros pelas patetices demonstradas, motivos mais do que suficientes para nos lembrarmos dos seus nomes. Outros ainda por...por...,como é que hei-de de dizer... por nada fazerem e por toda a sua nulidade! Assim foi este senhor durante todo este tempo, desde que se apropriou da pasta do Ministério da Cultura. Até mesmo o seu "chefe" reconheceu hoje que um dos grandes erros da sua governação "foi ter investido pouco na cultura" ou seja, nada ter acontecido numa das áreas onde um povo pode alicerçar o seu crescimento social e económico de forma sustentada. Talvez por isto mesmo, Portugal está onde está! Então, lembram-se como se chama este senhor?
publicado por MonteiroMariti às 22:12

08
Jun 09
EU ASSINEI ESTA PETIÇÃO

Cerca de 15 mil assinaturas a pedir alterações legislativas que responsabilizem os pais pelo comportamento escolar dos filhos são hoje entregues na Assembleia da República, disse à Lusa o autor da petição.Em duas semanas, o presidente do Conselho Executivo do Agrupamento de Escolas de Darque, em Viana do Castelo, obteve um apoio "que superou todas as expectativas". Para além do Presidente da Assembleia da República, também o presidente da Comissão de Educação e todos os grupos parlamentares vão receber o documento com o pedido para que seja debatido em plenário."A legislação tem de criar mecanismos administrativos e judiciais, desburocratizados, efectivos e atempados de responsabilização dos pais e encarregados de educação em casos de indisciplina escolar, absentismo e abandono, modificando a lei que consagra o Estatuto do aluno e outras leis conexas", escreveu Luís Braga na petição.
Vem a propósito o post anteriormente colocado neste blog em que, resumidamente, a responsabilidade dos pais é evidente se estes alguma vez colocarem em plano menor na educação dos seus filhos, o conceito da responsabilização. Mas até que ponto estão os pais alertados para esta obrigação? Entregam-se os filhos com 3 anos de idade, e às vezes menos, às creches e ligam-se televisores para que se entertam. Ou seja, vamos pelo caminho mais fácil, subcontratam-se as responsabilidades de educar aos infantários e às televisões.
E já agora, porque não uma petição para responsabilizar o Estado por políticas sociais e educativas que deitam cá para fora decretos, cheios de adendas, inócuos e estéreis?
A propósito de comportamento escolar, questiono ainda, e os professores são também culpados? O ensino esteriotipado onde se castra a criatividade, não deveria ser punido?
publicado por MonteiroMariti às 15:52

01
Jun 09
"É FÁCIL TORNAR-SE PAI, MAS DIFÍCIL SER PAI"

Assinala-se hoje, 1 de Junho, o Dia Mundial da Criança.
Em 1950, a Federação Democrática Internacional das Mulheres, propôs às Nações Unidas que se comemorasse um dia dedicado a todas as crianças do Mundo. Desde então que Os Estados Membros das Nações Unidas, ONU, propuseram um dia, como Dia Mundial da Criança. O Dia Mundial da Criança, oficialmente, é 20 de Novembro, data que a ONU reconhece como Dia Universal das Crianças por ser a data em que foi aprovada a Declaração dos Direitos da Criança. Porém, a data efectiva de comemoração varia de país para país.
É o dia que eu, efusivamente, aplaudo e sublinho a necessidade da sua existência para que se abanem as consciências dos pais e das instituições para o facto de vivermos momentos de manifesta falência de valores universalmente aceites. Tudo poderia ser bem melhor se as instituições, os governos, manifestamente, colocassem acima de todos os outros interesses o interesse pela dignidade da vida humana. Tudo poderia ser melhor se, cada um de nós pais, nos enfocássemos em dois temas que julgo fundamentais para a educação dos nossos filhos: na importância de sabermos encorajar as nossas crianças e na importância de sabermos incutir-lhes responsabilidade para que elas se apercebam das consequências lógicas do seu comportamento.
Devemos, todos nós, ter em conta que o maior legado que podemos deixar ao mundo para que este se torne mais justo é deixarmos filhos bem educados. Afinal de contas, celebrar o 1 de Junho não é mais do que tentar encontrar um mundo mais justo para que todas as crianças possam dele usufruir.

Desde sempre que a criança foi retratada em tela pelos grandes mestres da pintura. Aprecie neste pequeno vídeo algumas dessas obras.
publicado por MonteiroMariti às 12:10

subscrever feeds
arquivos
subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO