Notícias, comentários e artigos de opinião sobre, cidadania, cultura, ciência, justiça e tecnologia; Partilhar Emoções, e Estimular Sentimentos.

28
Nov 09
GRIPE A OU B? NÃO INTERESSA, O QUE IMPORTA SÃO OS NÚMEROS!

 

 Vivemos, de facto, tempos de informação descaracterizada dos mais altos valores éticos e deontológicos. O que importa mesmo é afogar as pessoas de conteúdo catastrófico e que as mantenha assustadas. Basta para isso deitar cá para fora estatísticas, números indicadores de catástrofe.
E, assim, tem sido há muito tempo com a gripe A, desde que o primeiro porco se constipou lá para os lados do México. É que o número de infectados com gripe A e que é debitado para o exterior pela DGS e os órgão de comunicação social não são verdadeiros. Falham por defeito ou por excesso, já que a triagem para a identificação de positivos A é só feita excepcionalmente.

Porque afirmo isto:

Porque fui apoquentado com um quadro de doença que imediatamente identifiquei como sendo uma gripe;

Porque, como os tempos são outros e cumprindo com os meus deveres de cidadania, recorri aos cuidados médicos do Centro de Saúde da minha área, apesar de profissionalmente estar habilitado para me tratar;

Porque aí diagnosticaram o meu quadro clínico como sendo um sindroma gripal (como se eu não soubesse!) e, imediatamente, reportaram o caso à DGS, informaticamente, como manda a lei, e porque não se fazem exames analíticos nos Centros de Saúde, lá seguiu a informação sem identificarem o tipo de estirpe;

Porque, estando eu curioso quanto ao raio do bichinho que me infectava, e para testar o sistema, perguntei ao médico se não me submetia a um exame analítico e, imediatamente, me foi entregue um papel com o endereço de um laboratório onde poderia efectuar o teste;

Porque perguntei quem pagava o exame e ter recebido um resposta peremptória: “Você!”

Pois é…! É claro que nem todas as pessoas vão a correr para os laboratórios, muito menos quando esse exame custa mais de 10 euros. E mesmo que o façam, comunicam às entidades sanitárias que tipo de estirpe foi identificado? Claro que não! Então como sabe a DGS quantos casos de gripe A estão identificados?

De repente estoirou na minha cabeça aquilo que eu sempre suspeitei: os números não são verdadeiros e não passam de mera especulação.
Entretanto, eu cá me vou divertindo com os números, bebendo fogosamente os meus chazinhos, ingerindo muita água, resguardando-me das intempéries e fazendo os meus antipiréticos. Sendo A ou B a gripe há-de ser debelada daqui a nada, aliás, como sempre aconteceu e sem consequências de maior. 

publicado por MonteiroMariti às 18:24

arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO